Textos


O Lápis que coloriu a POESIA
 
O vento CERÚLEO passou tingindo
de  LÁPIS-LAZÚLI o MAR.

NETUNO  se  revestiu de ANIL 
reclamando  ESPERANÇA  
turquesa.
 

Em concha,
Ele chamou Yara.


 
Barbacena, 27/09/2017
Caderno Pensamento e Ideias

 
_ POETAR_
https://www.facebook.com/PoetarPoesiaArte/
http://www.leonardolisboa.recantodasletras.com.br/
#poetarfacebook      #leonardolisboarecantodasletras
 
 
 
ESCREVA PARA O AUTOR:     
conversandocomoautor@gmail.com
 
Leonardo Lisbôa
Enviado por Leonardo Lisbôa em 27/09/2017
Alterado em 27/09/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários